JoAnInHaS falam no silêncioOoOo (:|:)

…e o que elas escrevem?!

.psicose.paranóica.induzida.

PARTE I

A noite estava fria e úmida. O canto incansável de uma cigarra parecia ser o único barulho nas proximidades. Nenhum carro nas ruas. Nenhum transeunte pelas calçadas. Nenhum cão entremeado entre latas de lixo. Tudo parecia mórbidamente solitário e monótono.

Ninguém percebeu que a bela jovem, deslubrante em seu vestido azul petróleo, subiu no terraço do prédio de 43 andares que morava seu padrinho. Sentada no alambrado ela balançava os pés descalços para o lado de fora. O silêncio da grande metropole ainda não era maior que o silêncio e a solidão do seu coração.

_SALVE-MEEE!

Bradou ela e rompeu em prantos. Tapou o rosto com as duas mãos como que querendo esconder-se de alguém, mas ela estava só ali. Chorou alto e abafado ao mesmo tempo. E por muito tempo, chorou.

Depois do desespero, não se deu ao trabalho de enxugar suas lágrimas, e ficou de pé bem na beirada da quina do alambrado. O dia já começava a nascer. Susurrou um poema. O mesmo que fizera no dia em que sua mãe morreu e que sua irmã mais velha fizera questão que ela recitasse no velório :

_O tempo não traz nenhuma certeza… A vida não garante o amanhã. ..Mas o amor vai além do tempo, …e é ainda mais perfeito além dessa vida.

E emendou com uma última frase:

_E isso é tudo!

Suspirou profundamente, fechou os olhos, abriu os braços, e com um sorriso nos lábios se atirou lá de cima.

Seu corpo chegou ao chão com um som seco, sem eco, sem vida. Mas ninguém percebeu isso também. Talvez o único espectador tenha sido a cigarra, pois seu canto incansável tornou-se ainda mais lamuriante ao amanhecer.

(:|:)

Anúncios

30 de março de 2009 Posted by | Assassinatos, Obsessivos, Psicóticos | , , , , , , , , , | 1 Comentário

.guardachuva.sem.chuva.chuva.sem.guardachuva.

_Olha o guarda-chuva! Olha o guarda-chuva!

Gritava o menino na rua tentando vender guardar chuvas para garantir ao menos seu lanchinho da tarde.

_Eu não preciso disso moleque! Saia da minha frente!

Disse o empresário engravatado que passava apressado no meio da multidão.

O dia estava quente e abafado, a chuvarada no fim da tarde foi inevitável. O empresário no fim do expediente correu ao lugar onde o menino outrora tentara lhe vender um guarda-chuva.

Com o temporal, o menino vendera todo seu estoque, garantiu seu lanche e pode ir para casa mais cedo. E o empresário teve que  ir para casa ensopado com um resfriado garantido para o fim de semana.

(:|:)

29 de março de 2009 Posted by | Cotidiano | , , , , | Deixe um comentário

.nunca.é.tarde.para.amar.

Senhorzinho já estava com 93 anos. Mas tinha o vigor dos 39. Fazia longas caminhadas, cuidava de sua casa, sua comida, suas roupas. E continuava a fazer o que sempre gostara: dar aulas. Professor paciente e exigente. Tirava o máximo de seus alunos. E seus esforços eram sempre recompensados.

Um dia o senhorzinho foi convidado para um almoço na casa de um de seus alunos. Quando chegou lá, se deparou com a bela silhueta de uma mulher de 87 anos. A bisavó de seu aluno. Todo encantado com a mimosa beleza da senhorinha se surpreendeu ao perceber que ainda era tempo de se apaixonar. Cheio de galanteios convidou senhorinha para um passeio no parque no fim de semana. Ela toda encantada com seus gracejos aceitou faceiramente.

Dia ensolarado, vento gostoso, os dois passearam pelo parque enquanto tentavam resumir suas vidas tão experientes. Entre uma risadinha e outra  eles se deram conta que não estavam assim tão velhos para amar, e que a idéia de viver seus ultimos anos com alguem especial a seu lado parecia agradavel.

Começaram a namorar. Uma surpresa para a família de ambos. Contudo uma surpresa agradável e inesperada. E assim a vida parecia ainda mais boa. No fim da tarde, nos dias que nao dava aula, o senhorzinho ia à casa da senhorinha e enchia uma bacia com água morna e lavava os pés da senhorinha massageando-os com cuidado. Já por outro lado a senhorinha escrevia bilhetinhos carinhosos e escondia nos bolsos da roupa do senhorzinho, que os encontrava em horas inesperadas no decorrer do seu dia fazendo-o rir de contentamento.

O senhorzinho sem dúvidas de sua afeiçao pediu a mão da senhorinha em casamento, que com um sorriso maroto disse “sim” sem pestanejar.A cerimonia seria numa sexta-feira de manha. Algo simples e sem formalidades, com a familia e alguns amigos.

Roupas a rigor. Sorriso nos lábios. Um dia agradável. Com direitos a flores e fotos, o senhorzinho e a senhorinha disseram “sim”  para a vida a dois naquela bela manha de sexta-feira. Mesmo parecendo tão imprevisível era uma família novinha de velhinhos que se formava. Tiveram um lindo dia de recem casados. Trocando beijinhos e carinhos.

No outro dia, senhorzinho morreu.

 

Fim!

(:|:)

26 de março de 2009 Posted by | Romances | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

vira.o.balde.e.muda.a.história.

O menino era apaixonado pela menina! A menina era apaixonada por borboletas! As borboletas eram apaixonadas por flores.

 O menino fazia de tudo para alcançar o coração da menina. A menina fazia de tudo para alcançar uma borboleta. As borboletas procuravam flores.

Um dia a menina se cansou.

_As borboletas nao chegam perto de mim!

O menino queria mesmo chutar o balde!

_Já chega disso tudo!

Mas em um dia qualquer uma borboleta posou, nem na menina, nem no menino, mas sim no balde. Então o menino, ao invés de chutar o balde, o encheu de água e regou o jardim. Cuidou das flores, arrancou as ervas daninhas, adubou a terra, regou mais um pouco… Logo o jardim estava repleto de borboletas travessas que se deliciavam com tantas flores e eram irrestivelmente atraídas para aquele lugar.

Em um outro dia qualquer o menino convidou a menina para visitar seu jardim. As borboletas não só chegavam perto da menina como pousavam nela alegremente. Depois desse dia tudo mudou para eles.

As borboletas se apaixonaram pela menina! A menina se apaixonou pelo menino! E o menino? Ah sim! Ele fez faculdade de botânica!

Fim!

(:|:)

24 de março de 2009 Posted by | Romances | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

.é.possível.

A menina tinha asas mas nao sabia voar. Até q um dia empurraram-na precipício a baixo…e uau! Ela nao deu com a cara no chão…Suas asas coloridas se abriram e ela vôou mto além das nuvens e dos pensamentos rasos e mediocres d todos os outros q sabiam q ela tinha asas mas lhe diziam q era um defeito na coluna!

 

(:|:)

22 de março de 2009 Posted by | Geral | , , , , , , | Deixe um comentário

.era.outra.vez.

Era uma outra vez e esse mesmo joaninho estava sobrevoando um jardim. Lá de cima ele viu uma joaninha verde e se apaixonou por ela.

Entao ele voou até ela e ao se aproximar viu que a joaninha verde na verdade era um pedacinho da folhinha de uma árvore que uma formiguinha deixou no meio do caminho. (E isso já é outra história).

Conclusão, o joaninho foi ao oftamologista e precisou usar óculos fundo de garrafa! E nunca mais confundiu fucinho de porco com tomada!

 

Fim!

 

(:|:)

18 de março de 2009 Posted by | Animais Falantes, Romances | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

.era.uma.vez.

Certo dia um joaninho estava apaixonado por uma joaninha. Ele pediu ela em casamento e ela disse não! Então eles viveram felizes para sempre.

 

Fim!

 

(:|:)

18 de março de 2009 Posted by | Animais Falantes, Romances | , , , , , | Deixe um comentário

…TãO pEqUeNiNiNhAs…

As joaninhas são agradáveis e lindos insetos… Elas são pequeninas mas muito úteis nas lavouras.

A maior arma de defesa delas é ficar em silêncio, bem quietinhas para que seus predadores não percebam sua presença.

As joaninhas vermelhas com sete pontinhos pretos,  são as mais fáceis de serem encontradas. E seu vermelho vibrante nos convida a sorrir e querer guardá-las com a gente!   

(:|:)

17 de março de 2009 Posted by | Geral | , , , , , , | Deixe um comentário