JoAnInHaS falam no silêncioOoOo (:|:)

…e o que elas escrevem?!

.sms.

“Aqui na minha rede colorida, sol brilhante e céu azul… Pensando em tantas coisas, buscando me reorganizar, perseverar… Tentando saber o que sinto e decidir o que devo fazer com isso. Me perguntando também ‘será que te faço bem’? Como isso deve prosseguir? Que esperanças alimentar? Que sonhos constuir? Devo me permitir? E se…? Concluo algumas coisas, outras ficam indefinidas… Eu divagando, o céu ainda azul e você aqui em mim…”

(:|:)

12 de maio de 2012 Posted by | Cotidiano, DiVaGaÇõEs | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

.farol.

Tuas luzes se apagaram quando eu mais precisei.

Fiquei sem rumo. Bati na rocha. Me machuquei.

Era noite. Não tinha a luz do sol.

Só podia me guiar pela luz do farol.

Mas tuas luzes se apagaram… quando eu mais… precisei.

 

(:|:)

 

17 de janeiro de 2012 Posted by | DiVaGaÇõEs | , , , , , , , | Deixe um comentário

.divagando.

O que dizer hoje? Nublado. Cinza. Dia novo.

O que fazer hoje? Um novo presente que ganho.

O que escolher, ou o que não escolher? Tem alguém me ouvindo?

Quero deitar nessa cama dura e dormir a tarde inteira… Tenho sono e obrigações. O que me faria mais saudável é ceder a primeira opção.

Mas, entrei no sistema. A segunda opção que cederei, hoje, também me escraviza.

Desafios foram feitos para serem vencidos. Então “cumprirei” meus desafios com um sorriso, pois “vencerei” todas as minhas obrigações. Ou seria o contrário?

E isso é o hoje. E isso é o tudo. E isso não é o que sou.

É apenas o que tenho de fazer. É o que escolhi para estenublado e cinza dia novo.

Ouviu bem? Alguém ouviu? Ou será que os menos medíocres cederam à cama e renderam-se ao sono vespertino?

E travesseiros também não são desafios?

(:|:)

10 de junho de 2011 Posted by | DiVaGaÇõEs | , , , , , , , | Deixe um comentário

.casualmente.

Estou aqui.

O céu é incrivelmente azul. As nuvens perfeitamente desuniformes.

Estou aqui.

(:|:)

31 de maio de 2011 Posted by | DiVaGaÇõEs | , , , | Deixe um comentário

.outono.

Esta é a primeira página de muitas que vêm pela frente. Quem dera conseguir escrever todos os dias de minha breve existência aqui. Isto nao é necessario. Todos os dias de minha vida já estao designados.

Contudo, as pessoas só terão de mim o que eu deixar escrito. O mínimo que eu deixar registrado será o máximo que de mim os outros terão.

O outono está chegando. Tudo está bem marrom agora. O vento é mais geladinho. O céu é mais intesamente azul.  Me sinto abraçada por Deus toda vez que meus olhos se fecham automaticamente que tento olhar pára o sol, que não tem mais nuvens para se esconder.

Ah! E as flores? As flores também são perfeitas pra mim. E elas virão, sim. Mas apenas na primavera. 

E antes disso virá o inverno. Galhos nus e secos. Frio congelante. 

Mas antes disso virá o outono. E este próximo outono também será mais uma página da história de minha vida. Da história que, diferente do outono, já começou.

(:|:)

29 de abril de 2011 Posted by | DiVaGaÇõEs | , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

.moço.

Tenho esperança de te ver outra vez. Oh! Como tenho essa esperança de te ver outra vez! Na verdade é tudo o que tenho! Tudo o que anseio… Te ver outra vez é tudo que me fará sorrir novamente!

(:|:)

1 de abril de 2010 Posted by | DiVaGaÇõEs, Romances | , , , , , , , , | Deixe um comentário

.confissões.

Quem disse que o amor é feito de pétalas vermelhas?

Quem disse que não é?

Não sei, nunca amei com amor de mulher.

Sei que é cedo demais para assumir as responsabilidades de u mpuro e verdadeiro amor.

Seja por quem for.

P.E. 16 anos

(:|:)

7 de fevereiro de 2010 Posted by | DiVaGaÇõEs | , , , , , | Deixe um comentário

.novamente.devaneios.

…E assim resolvi escrever. Com letras maiores que o normal. Porém, com frases mais curtas e evasivas. Não há nada que eu realmente queira fazer nem dizer. Hoje queria somente um gesto de carinho. Na verdade um aperto de mão bem forte já me deixaria bem satisfeita. Mas, enfim, nem sempre temos tudo o que queremos. E, assim, resolvi escrever.

(:|:)

4 de fevereiro de 2010 Posted by | DiVaGaÇõEs | , , , , , | Deixe um comentário

.carazinho.

Sabe aquela árvore… Logo ali no gramado? Quem a plantou? E por que ela está ali? Ela é tão convidativa… Tão simples. Solitária. Tão ela… Tão árvore! Será que ela pensa? Será que sente? Será que fala? Será que ouve? Será que abraça?

|18|fevereiro|2009|

(:|:)

31 de janeiro de 2010 Posted by | DiVaGaÇõEs | , , | Deixe um comentário

.feh.

Não, não, não.
Não sou daqui, tenho certeza disso.
O lugar de onde vim ainda nãO existe.
Quando eu abrir a porta haverá luz lá fOra?

Pense bem.

(:|:)

17 de janeiro de 2010 Posted by | DiVaGaÇõEs | , , , , , , , | Deixe um comentário

.nada.mais.que.isto.

Não parava de chover naquele domingo. Era uma chuva silenciosa e teimosa. O céu cinzento. Tudo muito quieto. Nada como como ficar assitindo filmes, comendo  pipoca e chocolate e desfrutar da presença dos amigos. Era um daqueles dias em que ficar entocado dentro de casa com pessoas maravilhosas era suficiente, nada mais que isto.

Tácia abriu um pouco a janela para o ventinho frio entrar na sala. O céu ficou mais carregado e a chuva levemente mais grossa. Na televisão o triller de um filme de ação começava a passar e o microondas apitou avisando que a pipoca estava pronta.

Ela correu até a cozinha e despejou a pipoca numa bacia enorme. Pegou todos os chocolates que estavam na geladeira. Se aconchegou no sofá com aquele monte de almofadas em sua volta. Tudo estava perfeito demais naquele dia chuvoso.

Se não fosse o fato de ela não ter amigos, ela com certeza teria sorrido quando o filme começou.

(:|:)

11 de janeiro de 2010 Posted by | Cotidiano, DiVaGaÇõEs, Realidade | , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

.bem.aqui.

Minhas unhas estão azuis. Comi salgadinho e tomei sorvete. Desenhei uma flor e escrevi 3 cartas para a mesma  pessoa. Me pediram perdão e eu perdoei. Não tirei o esmalte azul das unhas. Tomei banho de mangueira. Falei ao telefone mais vezes que o comum. Li um pouco dos 4 livros que estou lendo. Abracei meus pais. Beijei meus sobrinhos. Parei para sentir o vento no rosto. Ri de besteirinhas e ri mais um pouco. Mesmo com o esmalte azul você ainda estava e está nos meus pensamentos.

(:|:)

3 de janeiro de 2010 Posted by | DiVaGaÇõEs, Romances | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comentário

.o.que.é.o.nada.?.

Todos estão andando pelas ruas fingindo estarem distraídos.

Estão buscando alguma coisa. Procuram desesperadamente, mas niguém corre. Ninguém sabe o nome daquilo que procura.

Há uma falsa sombra debaixo dessa árvore, não há como se esconder.

As crianças, sim, estão distraídas. Elas não procuram alguma coisa, a não ser pedrinhas naquele mato que alguns ainda chamam de grama.

Ninguém escolhe a cor dos próprios olhos. Mas todos podem escolher com que cor verão o mundo.

Porque, na verdade, niguém está distraído. Todos estão com os olhos bem abertos… Procurando.

E estas palavras não estão simplesmente soltas ao léu. Estas palavras estão contando uma história; e ela já começou.

Preste atenção.

(:|:)

15 de dezembro de 2009 Posted by | DiVaGaÇõEs | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comentário